Resenha – Clube dos Cinco

cena-de-clube-dos-cinco-do-diretor-john-hughes-1426024202618_1920x1280

Um nerd, um atleta, uma patricinha, uma esquisita e um delinquente juntos em um sábado de detenção de uma escola comum americana. Dentro desse cenário, John Hughes consegue dar vida a um do maiores clássicos dos anos oitenta que representou toda uma geração de jovens estudantes americanos.

Tudo começa num sábado de detenção onde Andrew (Emilio Esteves), Brian (Anthony Michael Hall), John (Judd Nelson), Claire (Molly Ringwald) e Alisson (Ally Sheedy) tem que passar o dia sob a supervisão do autoritário diretor Vernon (Paul Gleason). O Diretor pede a eles que escrevam uma redação explicando quais seriam os motivos para estarem na detenção.

clube-dos-cinco

Com seu jeito rebelde John se recusa a escrever uma redação e começa a afrontar seus colegas, tentando entender o que fizeram para estar ali, apontando as fraquezas uns dos outros certas desavenças são criadas. Após brigas, discussões e uma paradinha estratégica pro almoço (parte em que aprendemos a fazer um sanduíche de sucesso com a personagem Alisson) eles se acertam e vão em busca de um pacote no armário de John.

Clube dos Cinco (1)

A ida até o armário se torna uma diversão pois os personagens precisam andar pelos corredores fugindo do diretor que cruza o caminho deles a todo momento. Quando enfim chegam ao armário, descobrem que o pacote que John queria buscar continha maconha e Bryan chega a questionar se deveriam continuar seguindo John, no entanto o grupo ignora ele e seguem John.

No retorno a sala, John precisa servir de isca para o diretor não encontrar seus colegas e acaba sendo colocado de castigo na detenção dentro de uma sala minúscula, mas suas experiências como delinquente o ajudam a achar uma maneira de retornar para o local onde estão seus colegas.

clube-dos-cinco-foto-06

Ao se reencontrarem, eles fumam a maconha e sob o efeito da droga começam a se abrir uns com os outros e descobrem que são muito mais parecidos do que imaginam. Depois dessas conversas percebem que já está quase terminando o dia e deixam para Bryan, o mais inteligente do grupo, a missão de escrever a redação pedida pelo diretor. John e Claire começam a se aproximar, assim como Andrew e Allison, sendo essa a parte romântica do filme.

1

Por fim todos vão embora do sábado de detenção renovados e com amigos novos e com a certeza que não estão sozinhos com seus problemas. John Hughes consegue neste filme refletir sobre os problemas de toda uma geração, mostrando que apesar de todos os estereótipos impostos pela sociedade a esses jovens, eles no fundo passam pelos mesmo problemas e aflições sendo assim todos muito mais parecidos do que imaginam.

O filme possui boas atuações, com um cenário e uma história que não precisou de muitos investimentos para ser sensacional. Sua trilha sonora é sensacional, cenas icônicas como o Grande finale com a música “Don’t You” do Simple Mind e o braço estendido de Judd Nelson. O clube dos cinco ainda em dias atuais serve para refletirmos sobre os dilemas e aflições de jovens estudantes sendo assim um filme sensacional.Clube Dos Cinco

 

Ficha técnica:

Título: O Clube dos Cinco
Título original: The Breakfast Club
Direção: John Hughes
Elenco: Judd Nelson, Emilio Esteves,
Paul Gleason, Ally Sheedy
Gênero: Comédia, Drama
Duração: 97 min
Data de lançamento no Brasil: 28 de Junho de 1985

 

 

 

Carlos Eduardo Lopes Santos

Carlos Eduardo Lopes Santos

Morcególogo, aprendiz de Batsuman, nerd e um grande fã da queridissima sétima arte :).
" God save the Kingo of the Noth!!!!"
Carlos Eduardo Lopes Santos

Últimos posts por Carlos Eduardo Lopes Santos (exibir todos)

  • https://www.wattpad.com/story/67962095-jornada-de-um-her%C3%B3i-qualquer-caminhando-pelo-mundo Finder Lucas

    Ótima resenha, mas na minha opinião de bosta tudo é 10 de 10

  • Darley Santos

    Clássico